(2012) I Suite para Violoncelo solo de J. S. Bach

A partir do projeto Logo-Diálogos, idealizado por Dimos Goudaroulis, primeiro violoncelista a gravar as 6 Suítes de J.S Bach, seguindo o manuscrito de Ana Magdalena Bach. Surge a proposta de unir a genialidade do compositor com o virtuosismo do coreógrafo Jorge Garcia e bailarinos da Jorge Garcia Cia de Dança Contemporânea, buscando expressar através do corpo todos os segredos, símbolos e argumentos que a obra musical sugere, gerando diferentes abordagens e interpretações possíveis pelo movimento. A 1a. Suíte para Violoncelo Solo de J.S Bach, mergulha na criação do universo, onde o músico e a música, tocada ao vivo, estão no centro e os bailarinos dançam em espiral à sua volta, com movimentos inspirados na rotação do universo e na dinâmica de seus dedos esquerdos.

 

Ficha Técnica

Direção e Coreografia: Jorge Garcia

Criação do Projeto Logo-diálogos e violoncelo: Dimos Goudaroulis

Trilha sonora: 1a Suíte para Violoncelo Solo de J.S. Bach

Assistência de direção e ensaiador: Edson Fernandes

Elenco: Amanda Raimundo, Jorge Garcia, Willy Helm, Natasha Virgílio, Marina Matheus e Rafaela Sahyoun

Criação original de iluminação: Joyce Drummond

Adaptação de iluminação: Ari Buccioni

Cenário e Figurino: Fábio Namatame

Design Gráfico: Sonaly Macedo

Registro Fotográfico: Silvia Machado e Eliana Souza

Produção Executiva: Bufa Produções – Aline Grisa

Duração: 50 min

Classificação: Livre

 

(2012) Caixa de Vidro

“Acredito que isso seja mais sobre vida do que sobre palco.
Sobre como nos comunicamos silenciosamente com o contexto no qual estamos inseridos, como nossos olhares se encontram (ou não), como nossos movimentos falam mais que nossas palavras e também sobre como vivemos em uma corda bamba, amordaçados e expostos a todo tipo de tensão que uma realidade complexa como a dos dias de hoje nos impõe.

Talvez seja sobre como estamos a mercê do espectador que nos olha através da vitrine. Ou seriamos nós os espectadores? Talvez a reflexão seja: “de que lado do vidro a vida acontece de verdade? Até onde somos bicho e até onde somos gente? E qual a diferença entre os dois mesmo?”.

Calçadas são palcos e, às vezes, palcos são túmulos. A arte precisa ver pessoas, daí a busca por lugares novos, novos horizontes, voltar maior pra dentro de si e gritar ao mundo – sem se preocupar em quais notas – que se está vivo.

Dançar é sentir e sentir é entender com o coração. Enfim, como já disse antes, acredito que isso seja mais sobre vida do que sobre palco.”

EMICIDA

 

Ficha Técnica

Direção Geral: Jorge Garcia

Intérpretes Criadores: Amanda Raimundo, Lina Gómez, Natasha Vergílio, Martina Sarantopoulos, Jerônimo Bittencourt, Edson Fernandes, Mariana Molinos, Fernando Oliveira, Mariza Virgolino, Carolina Sudati e Fernando Martins

Trilha Sonora: Fernando Oliveira e Fernando Martins

Cenografia e Assessoria Geral: La Tintota

Execução Cenográfica: Pigari Cenografia

Figurino: Carolina Sudati e Natasha Vergilio

Design de Luz: Ari Buccioni

Design Gráfico: Sonaly Macedo

Registro Fotográfico: Silvia Machado

Registro de video: Osmar Zampiere

Produção Executiva: Bufa Produções – Aline Grisa

Duração: 120′

Classificação: Livre